Home Meio ambienteCidades Sustentáveis O que é a Agenda 2030 da ONU?

O que é a Agenda 2030 da ONU?

Escrito por Ludmila Alves 28 de agosto de 2018
O que é a Agenda 2030 da ONU?

Como construir o mundo que queremos, aquele que é bom para as pessoas, para a economia e para o meio ambiente? É essa a proposta da Agenda 2030.

Mas o que ela tem de tão especial e importante para ser considerada no desenvolvimento de políticas, negócios e projetos em todo planeta? Por que seu nome tem entrado tanto em pauta ultimamente?  

Co-criada em 2015 em uma conferência da ONU em Nova York, a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável é um documento que traz metas para alcançarmos pontos fundamentais.

Quais são esses pontos, como essa agenda está estruturada e as ações que ela deve gerar é o que você vai ler agora.

 

O que é a Agenda 2030?

A Agenda 2030 é um conjunto de 17 objetivos e 169 metas ousados que devem ser atingidos pelos países membros da ONU até 2030. Em resumo, a Agenda visa garantir o desenvolvimento sustentável orientando a criação um plano de ação para as pessoas, para o planeta e para a prosperidade.

Com foco especial em erradicar a pobreza, o documento propõe a execução de medidas ousadas, transformadoras e urgentes para criarmos o desenvolvimento sustentável do planeta, de forma próspera para todos e resiliente.

E como essa Agenda será cumprida?

A ONU deixa explícito no documento que para a realização será necessária a colaboração a nível global e a implementação de políticas públicas e ações concretas, algo sob a responsabilidade de cada país signatário. No entanto, o acompanhamento dos resultados alcançados ficará  por conta da organização, a qual se compromete em auxiliar os países membros por meio do uso de uma avaliação sistemática com indicadores globais.

Nesse cenário, os objetivos e metas da Agenda 2030 tem a intenção de garantir:

  • fim da pobreza e da fome, para que todas as pessoas possam viver em todo seu potencial;
  • salvar o planeta da degradação promovendo o consumo sustentável, a gestão adequada dos recursos naturais e a execução de medidas urgentes para combater as mudanças climáticas;
  • que todos tenham uma vida de prosperidade e de realização pessoal;
  • sociedades pacíficas, justas e inclusivas;
  • parcerias globais para o cumprimento da Agenda.

Vigente desde 1 de janeiro de 2016, são esses objetivos que estão orientando as decisões da ONU até 2030.

 

Agenda 2030 – Guia Rápido (e completo)

Como proponho aqui um Guia Rápido, respondi às principais dúvidas e levantei os pontos mais interessantes sobre o que li nas 41 páginas da Agenda 2030 e nas muitas informações disponibilizadas no site da ONU.

Para facilitar sua busca e compreensão do assunto, listei aqui os tópicos abordados ao longo do texto. Basta clicar em algum deles para ir direto ao ponto e encontrar de modo rápido a informação que você precisa. 😊

#1 Como e por que a Agenda 2030 foi criada?

#2 Por quem a agenda foi criada?

#3 Os 17 Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável (ODS)

#4 As 169 metas da Agenda 2030

#5 O que a Agenda 2030 tem a ver com os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM)?

#6 Como você pode aplicar as diretrizes da Agenda 2030 onde você está?

#7 Por que a Agenda 2030 é polêmica? Entenda o “globalismo”

 

#1 Como e por que a Agenda 2030 foi criada?

A Agenda 2030 foi criada a partir de de um relatório divulgado em 2014 pela ONU que trouxe o resultado da consulta pública e do envolvimento com a sociedade realizado durante 2 anos. Esse trabalho procurou dar voz às pessoas e, especialmente, aos mais vulneráveis.  

O documento com suas diretrizes foi criado para ser um plano de ação e realmente incentivar nações, instituições e pessoas e agirem por um mundo melhor, que só pode acontecer pelo desenvolvimento sustentável.

Além disso, desde 2016 até 2030, as decisões da ONU serão norteadas pelos objetivos e deveres da Agenda.

#2 Por quem a agenda foi criada?

Foi criada pela Cúpula das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável, reunião do grupo formado pelos líderes de 193 países que formam a ONU.

A partir dos encontros da Cúpula Mundial sobre Desenvolvimento Sustentável de 2002, da Cúpula de 2010 sobre os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio e da Conferência Rio+20 (na qual se produziu o documento “o futuro que queremos”) o assunto foi debatido e formalizado.

A partir dos pontos gerados pela Cúpula, a Agenda 2030 tomou forma e foi apresentada.

Agenda 2030 - Reunião da Cúpula das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável

Reunião da Cúpula das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável em Setembro de 2015, quando a Agenda foi criada.

#3 Os 17 Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável (ODS)

Primeiro, vamos entender o que significa Desenvolvimento Sustentável para a ONU:

“O desenvolvimento que procura satisfazer as necessidades da geração atual, sem comprometer a capacidade das gerações futuras de satisfazerem as suas próprias necessidades”.

Isso significa que o desenvolvimento sustentável é aquele que faz bom uso dos recursos e elimina perdas. Mas não estamos falando somente de recursos naturais.

O Desenvolvimento Sustentável inclui o desenvolvimento social, econômico e ambiental.

Portanto, os 17 objetivos vão tratar desses 3 aspectos.

E mesmo que considerasse apenas um desses 3 pilares, teria que incluir os outros automaticamente. Afinal, não existe economia que se sustente sem o uso consciente de recursos, não existe inclusão social se as pessoas não têm acesso à economia e não existe natureza que sobreviva sem educar a população sobre isso.

Ok, a jornalista pelo meio ambiente e do social que vos escreve vai se segurar aqui para falarmos quais são os 17 objetivos de Desenvolvimento Sustentável! 😀

17 objetivos do desenvolvimento sustentável da ONU - Agenda 2030

Mas é importante que você saiba que os 17 objetivos são ousados.

E a Agenda 2030 deixa isso bem claro! Afinal, a ideia é transformar o mundo: imaginá-lo sem pobreza, onde todos os direitos humanos sejam garantidos, sem violência, com os recursos naturais usados com consciência, com os países crescendo economicamente de forma colaborativa e inclusiva.

Eu também acho tudo isso bem distante do que vivemos hoje. Mas se queremos mudar algo, em algum momento teremos que construir as bases para isso acontecer. E por que não pensar grande? Fica a reflexão!

Os 17 objetivos são:

  1. Acabar com a pobreza em todas as suas formas, em todos os lugares
  2. Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável
  3. Assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades
  4. Assegurar a educação inclusiva e equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos
  5. Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas
  6. Assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todos
  7. Assegurar o acesso confiável, sustentável, moderno e a preço acessível à energia para todos
  8. Promover o crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, emprego pleno e produtivo e trabalho decente para todos
  9. Construir infraestruturas resilientes, promover a industrialização inclusiva e sustentável e fomentar a inovação
  10. Reduzir a desigualdade dentro dos países e entre eles
  11. Tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis
  12. Assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis
  13. Tomar medidas urgentes para combater a mudança do clima e seus impactos (*)

Post recomendado: 5 ações para evitar as mudanças climáticas

  1. Conservação e uso sustentável dos oceanos, dos mares e dos recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável
  2. Proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, deter e reverter a degradação da terra e deter a perda de biodiversidade
  3. Promover sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável, proporcionar o acesso à justiça para todos e construir instituições eficazes, responsáveis e inclusivas em todos os níveis
  4. Fortalecer os meios de implementação e revitalizar a parceria global para o desenvolvimento sustentável

E a partir dos ODS temos as metas.

 

#4 As 169 metas da Agenda 2030

As 169 metas da Agenda estão distribuídas dentro dos 17 objetivos.

Cada um deles têm suas metas específicas.

Como por aqui nosso tema principal é o respeito ao meio ambiente, disponibilizo aqui as metas detalhadas para o objetivo 15, que fala da proteção à natureza.

15.1 Até 2020, assegurar a conservação, recuperação e uso sustentável de ecossistemas terrestres e de água doce interiores e seus serviços, em especial florestas, zonas úmidas, montanhas e terras áridas, em conformidade com as obrigações decorrentes dos acordos internacionais

15.2 Até 2020, promover a implementação da gestão sustentável de todos os tipos de florestas, deter o desmatamento, restaurar florestas degradadas e aumentar substancialmente o florestamento e o reflorestamento globalmente

15.3 Até 2030, combater a desertificação, restaurar a terra e o solo degradado, incluindo terrenos afetados pela desertificação, secas e inundações, e lutar para alcançar um mundo neutro em termos de degradação do solo

15.4 Até 2030, assegurar a conservação dos ecossistemas de montanha, incluindo a sua biodiversidade, para melhorar a sua capacidade de proporcionar benefícios que são essenciais para o desenvolvimento sustentável

15.5 Tomar medidas urgentes e significativas para reduzir a degradação de habitat naturais, deter a perda de biodiversidade e, até 2020, proteger e evitar a extinção de espécies ameaçadas

15.6 Garantir uma repartição justa e equitativa dos benefícios derivados da utilização dos recursos genéticos e promover o acesso adequado aos recursos genéticos

15.7 Tomar medidas urgentes para acabar com a caça ilegal e o tráfico de espécies da flora e fauna protegidas e abordar tanto a demanda quanto a oferta de produtos ilegais da vida selvagem

15.8 Até 2020, implementar medidas para evitar a introdução e reduzir significativamente o impacto de espécies exóticas invasoras em ecossistemas terrestres e aquáticos, e controlar ou erradicar as espécies prioritárias

15.9 Até 2020, integrar os valores dos ecossistemas e da biodiversidade ao planejamento nacional e local, nos processos de desenvolvimento, nas estratégias de redução da pobreza e nos sistemas de contas

15.a Mobilizar e aumentar significativamente, a partir de todas as fontes, os recursos financeiros para a conservação e o uso sustentável da biodiversidade e dos ecossistemas

15.b Mobilizar recursos significativos de todas as fontes e em todos os níveis para financiar o manejo florestal sustentável e proporcionar incentivos adequados aos países em desenvolvimento para promover o manejo florestal sustentável, inclusive para a conservação e o reflorestamento

15.c Reforçar o apoio global para os esforços de combate à caça ilegal e ao tráfico de espécies protegidas, inclusive por meio do aumento da capacidade das comunidades locais para buscar oportunidades de subsistência sustentável

De fato, as metas pontuadas são necessidades da natureza. E também concordo que são urgentes!

No entanto, elas não são metas específicas.

Quando é dito no item 15.5 sobre “Tomar medidas urgentes e significativas para reduzir a degradação de habitat naturais…”, por exemplo, a gente vê o quão amplo e quão variadas podem ser as ações para esse fim.

E sabemos que quando se trata de implementação de práticas para gerar resultados, saber o que fazer é bem importante.

Por isso, podemos dizer que as metas são gerais e óbvias. O que não reduz seu valor, uma vez que a ONU será responsável por acompanhar os resultados.

 

#5 O que a Agenda 2030 tem a ver com os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM)?

Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio traziam os ideias da ONU para nortear ações práticas no início dos anos 2000.

agenda 2030 - ODM a base dos novos objetivos mais inclusivos

A organização explicou que eles tiveram sucesso em muitos âmbitos.

No entanto, deixaram a desejar porque não foram inclusivos. Principalmente países da África, países insulares em desenvolvimento e países menos desenvolvidos não tiveram progresso no alcance desses objetivos.

Os Objetivos do Desenvolvimento do Milênio eram:

  1. Erradicar a pobreza extrema e a fome;
  2. Alcançar o ensino primário universal;
  3. Promover a igualdade de gênero e empoderar as mulheres;
  4. Reduzir a mortalidade infantil;
  5. Melhorar a saúde materna;
  6. Combater o HIV/AIDS, a malária e outras doenças;
  7. Garantir a sustentabilidade ambiental;
  8. Desenvolver uma parceria global para o desenvolvimento.

Esses objetivos foram o norte para as decisões das cúpulas da ONU até 2015.

 

#6 Como você pode aplicar as diretrizes da Agenda 2030 onde você está?

O primeiro ponto é você acreditar que essas diretrizes têm valor social e podem beneficiar a TODOS sem distinção de lado, trabalho, classe econômica, gênero e afins.

Sem essa premissa em mente, dificilmente você conseguirá engajar mais pessoas.

Depois, basta usar um ou mais dos 17 objetivos como base para construir projetos.

Que tipo de projetos podem usar os Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável?

Vou dar um exemplo da cidade onde moro: Belo Horizonte.

Por aqui, a prefeitura realizou a 5ª Conferência Municipal de Política Urbana.

A proposta era discutir o Plano Diretor da cidade de Belo Horizonte (até então não aprovado pela câmara de vereadores) à luz da Nova Agenda Urbana, a NAU, documento desenvolvido na III Conferência das Nações Unidas sobre Moradia e Desenvolvimento Urbano Sustentável em Quito no ano de 2016.

Várias das cidades participantes, incluindo BH, assinaram a NAU demonstrando um compromisso real em buscar caminhos para que o espaço urbano seja sustentável, resiliente e inclusivo para a participação da comunidade como responsável por construir o lugar ideal.

A NAU é baseada no Objetivo de Desenvolvimento Sustentável de número 11, do qual as metas estavam representadas nos objetivos da Conferência Municipal de Política Urbana.  

cmpu BH

Esse foco da conferência foi muito pertinente. No entanto, é preciso que, enquanto população, estejamos atentos e ativos para ver essas ações acontecerem na prática.

Aplicando a Agenda 2030

Acredito muito que podemos sempre tornar um ambiente, pessoas e até uma empresa sustentável, não importando o lugar em que estamos.

O que importa é a nossa vontade de transformar, ensinar e envolver.

Então, para projetos de impacto social (seja para algo que atingirá um grande ou um pequeno grupo), utilize um dos objetivos como norteador.

E não se esqueça de avisar que um dos ODS foram usados. Isso inspira mais gente a fazer o mesmo. 😉

Leia também: Guia das Cidades Sustentáveis: Quais são e 15 ações para copiar

#7 Por que a Agenda 2030 é polêmica? Entenda o “globalismo”

Se procurar “Agenda 2030” na internet, vai ver alguns vídeos como resultado principal.

Parte deles vai apresentar conteúdo da própria ONU e de organizações afins explicando o assunto. Eles trazem comentários assustados de “haters” que associam à Agenda ao comunismo, a algo anti-religião e anti-cristo e a planos conspiratórios do tipo dominar o mundo.🙄

Outra parte desses vídeos são críticas à Agenda e a ONU por eles pregarem à solidariedade entre os países e a igualdade social entre as pessoas.

A Agenda 2030 traz ideias marxistas e consideradas de esquerda? Traz sim.

O que não significa que para executar as tarefas e alcançar os objetivos, que são nobres, o socialismo deva ser implantado. Ou que os meios de produção serão socializados. Ou que as classes ricas perderão direitos e bens para que classes pobres melhorem sua qualidade de vida.

Ah! E tem quem acredite que a ONU prega nada menos do que o “globalismo”. Que é ter um poder mundial tirando a autoridade dos países. 🙄

No site oficial do ONU na página da Agenda 2030 tem um trecho que vale destacar em resposta:

“Reafirmamos que cada Estado tem, e exerce livremente, sua soberania plena e permanente sobre toda a sua riqueza, seus recursos naturais e sua atividade econômica.”

Por isso, vale sempre lembrar que a ONU sozinha não tem autoridade nenhuma. Ela é um grupo de países que discutem questões que consideram relevantes. Pensam em metas lindas, mas no fim das contas, colocar em prática não é tão simples.

A minha opinião sobre a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável

Na verdade, não é a minha opinião que importa aqui, mas gerar o senso crítico em você.

E a melhor forma de fazer isso é colocarmos os pontos positivos da Agenda 2030 e os nem tão bons assim lado a lado.

Pontos positivos da Agenda 2030

  • Gera a reflexão sobre o que é desenvolvimento (àquele que considera o todo e não somente as classes ou setores);
  • Incentiva o comprometimento de todos os países, não importando seu grau de desenvolvimento econômico;
  • Chama a atenção de instituições e governos para causas realmente importantes;
  • Dá atenção ao meio ambiente, servindo como base para protocolos e acordos, como é o caso do Acordo de Paris;
  • Inclui o desenvolvimento de 3 setores: social, econômico e ambiental.

Pontos que não são positivos da Agenda 2030

  • Discute problemas e soluções e espera que instituições e pessoas executem;
  • Se posiciona como algo co-criado com a sociedade civil, mas a gente não vê a ONU pelas ruas da nossa cidade;
  • Considera um ideal além do que é possível hoje;
  • Tem objetivos com pontos subjetivos tal qual “realização pessoal”;
  • É bastante utópica.

Não vejo a Agenda 2030 e as outras diretrizes da ONU como perfeitas e realistas, mas também não acredito que elas possam nos fazer mal. Pelo contrário, são preceitos básicos de desenvolvimento.

Acabar com a pobreza, por exemplo, é algo que certamente não verei nessa vida. Mas, de fato, é uma responsabilidade geral sim, já que há pobreza estrutural. Ou você não sabe que as favelas são produto da escravidão?

Além disso, a natureza tem sido deteriorada, a economia e a sociedade não melhoram se tem gente concentrando capital, o mundo já não tem barreiras quer você goste ou não.

As coisas estão acontecendo! Quer alguém pense em desenvolvê-las bem ou não.

E quanto mais nos planejarmos e nos organizamos, maiores chances de ter um mundo bom e próspero teremos.

Cabe a gente querer um desenvolvimento sustentável que beneficia a todos ou continuar crescendo para o caos.

E como você vê a Agenda 2030? Quero saber!

 

Referência: Site oficial da Agenda 2030 da ONU

Facebook Comments

veja também

O que achou? Deixe seu comentário