Home Consumo Consciente O que é Greenwashing e como identificar empresas que o praticam

O que é Greenwashing e como identificar empresas que o praticam

Escrito por Ludmila Alves 1 de dezembro de 2018
O que é Greenwashing e como identificar empresas que o praticam

Produtos  e serviços que não sejam nocivos ao meio ambiente e ao meio social são uma realidade possível? São sim! Mas enquanto algumas empresas estão trabalhando para isso, várias delas praticam o greenwashing.

A “lavagem verde” (ou “maquiagem verde”, termo que tem sido mais utilizado por aqui) está crescendo na mesma medida em que nossa consciência e nossa exigência por práticas sustentáveis aumentam, infelizmente. 😥 Isso porque, para muitas empresas, é mais fácil tomar atitudes imediatistas com o objetivo de se posicionar como eco-friendly e de vender mais, do que de criar projetos de responsabilidade ambiental de fato.

O greenwashing tem sido tão discutido, que a mídia tradicional já fala sobre o assunto.  E de forma bem negativa, como podemos notar:

  • Jardins verticais na cidade do México: sementes da mudança ou greenwashing cínico? – The Guardian, outubro de 2018
  • “Friends of the Earth” acusa provedor do índice ético de ‘greenwashing’ – Financial Times, outubro 2018
  • É hora de acabar com o greeenwashing nos investimentos para o clima – Financial review, fevereiro 2018
  • Investidores estão identificando Greenwashing corporativo – Bloomberg, agosto 2018

Greenwashing virou uma acusação para empresas, governos e até para pessoas!

Para entender esse termo e saber como empresas têm usado dessa artimanha para parecerem melhores, pesquisei e trouxe para vocês todas as informações necessárias para reconhecer o greenwashing.

Tenho certeza que a leitura será muito útil!

(Clique nos links acima para ir ao trecho do texto que te interessa. Ou leia tudo, como recomendo!)

 

O que é o greenwashing?

Greenwashing, a maquiagem verde, é quando uma empresa (pública, privada, governo, fundo investidor ou ONG) mascara atitudes nada sustentáveis criando estratégias para parecer ter responsabilidade ambiental. Portanto, essa é considerada uma ação de marketing e uma forma de enganar o consumidor, investidores, parceiros e o mercado.

Basicamente, empresas que praticam greenwashing seguem diretrizes publicitárias ou lançam produtos e serviços que têm (ou transmitem a impressão que têm) uma preocupação ambiental. No entanto, a empresa não têm práticas sustentáveis e nem tem a intenção real de colaborar com o planeta, visto que o contexto geral de sua operação não é positivo nesse sentido.

Ela apenas faz uso de um discurso ou de uma imagem ecologicamente corretos para se posicionar melhor no mercado.

(Dê play na música a seguir para ouvir enquanto lê).

 

Quais são os principais exemplos de greenwashing?

O que pode ser considerado greenwashing?

Listei a seguir os principais casos em que o uso dessa prática acontece.

O greenwashing existe quando uma empresa (ou qualquer tipo de instituição):

  •  investe em algum projeto ambiental ou social, mas na sua operação comete vários impactos negativos para o bem-estar e para a saúde das pessoas e da natureza;
  • utiliza embalagens de produtos que dizem “não usamos tal coisa”, sendo que esse ingrediente já é proibido pela legislação;
  • faz comunicação da marca cuja embalagem, design ou marketing cria o entendimento de que esse produto ou serviço é ecologicamente correto, mas não dá explicação de como faz isso;
  • apoia ou possui programas sociais e ambientais mas luta contra legislações que beneficiariam essas áreas;
  • a empresa se diz eco-friendly ou sustentável tendo apenas alguns produtos nessa linha, não a totalidade;
  • não resolve problemas ambientais que sua empresa causou, mas investe em projetos pró-sustentabilidade.

Ok. Então, como vemos isso no nosso dia-a-dia?

Sabe aquelas marcas que têm embalagens verdes, ou cheias de folhinhas, ou com materiais diferente do plástico que remetem à natureza? Algumas podem ter palavras como “eco” ou “natural”, mas sem que isso seja explicado na embalagem e sem que haja nenhuma certificação.

A embalagem é um dos exemplos mais comuns.

Na mesma linha, por mais que a empresa produza embalagens recicláveis, se ela não cuida da logística reversa, esse esforço foi em vão. Não passou de marketing.

Outro exemplo visto com frequência é da indústria automobilística que promete carros “eco”, que deixa no ar a dúvida se trata-se de um carro que emite menos CO² ou se é apenas econômico.

Tem também a indústria de cosmético que pode não testar em animais, mas que adiciona derivados animais em seus produtos.

Se esse tema te interessa, recomendo a leitura do post Maquiagem Vegana: Como reconhecer, top marcas e e testes em animais

greenwashing - empresas de vários tipos podem executá-lo

Ah! Investidores também praticam greenwashing! A mesma pessoa que investe em projetos de recuperação ambiental, apesar de não parecer coerente, investe também em atividades destrutivas ao planeta.

 

Grandes empresas e o Greenwashing: alguns fatos recentes

Como também li reportagens para fazer esse post, quero dividir algumas dessas histórias por aqui. Elas ilustram muito bem como grandes companhias têm lidado com a questão publicitária e ambiental por trás do greenwashing.

Uma delas é sobre a MidAmerican, companhia investida pelo famoso Warren Buffet. Ela liberou para a imprensa a informação de que 100% das suas fontes energéticas seriam renováveis em breve. No entanto, foi descoberto que a empresa ainda utilizava combustível fóssil (como petróleo e gás).

Após desmascarada, Greg Abel, um dos executivos do grupo administrativo da MidAmerican se posicionou dizendo que eles simplificaram muito a questão, mas que o uso integral de energias renováveis pela empresa é uma meta a ser atingida.

Fontes de energia não renováveis, como gás, petróleo e carvão mineral, por exemplo, são uma grave questão ambiental porque utilizam recursos naturais que nunca irão voltar ao ambiente. Procurando reduzir o uso dessas fontes e se adaptar a um mundo sem elas, surgiu o Transiton Towns, movimento inglês.

Essa omissão tem muito impacto, mas não é pior do que a mentira da Amazon e da Walmart. Ambas as companhias rotularam plásticos como biodegradáveis sem eles serem ecologicamente corretos.😲 As gigantes receberam ações judiciais na Califórnia, estado americano com políticas ambientais que são modelo e cheios de cidades sustentáveis.

Daí fica a reflexão: se empresas como essas com muito capital fazem isso, imagina quantas mentem pra gente?

Devem ser muitas.

E o investidor que aplica dinheiro em empresas que mentem?

Como contei, tem sim investidor que faz “greenwashing de dinheiro”. Existem outros que sequer ligam para questões sustentáveis. Mas tem aqueles que não querem injetar capital em empresas que deterioram nosso planeta. 👏👏👏

Tem grupos investidores usando critérios para auditar se os projetos em que vão colocar dinheiro são sustentáveis. O Deustche Bank, por exemplo, tem uma ferramenta de mapeamento de impactos para mudanças climáticas.

Se um projeto apresenta riscos de estar contribuindo para o aquecimento global, certamente ele não estará no portfólio da empresa.

 

Como atestar se uma empresa pratica o greenwashing?

Eu já achei que empresas estavam sendo revolucionárias, comprei e só depois fui descobrir que era greenwashing. 😥

No entanto, aprendi a identificar se uma marca transmite a verdade e se é transparente em apenas 10 minutos!

Para isso você precisa:

1- Pesquisar sobre a marca

Normalmente, o site é a fonte de informação mais completa.

Procure pelos links institucionais como o “Sobre nós”, “Nossa missão”, porque é neles que costuma haver essas informações.

No entanto, se aquilo que ela informa não está descrito em seu site, mande um e-mail pedindo esclarecimento da informação.

A mensagem padrão que uso (e que você pode usar também) é assim:

Olá!

Sou consumidora da marca e notei que vocês divulgam sobre isso (coloque como eles estão divulgando aqui). Onde eu encontro mais informações sobre essa prática?

Alguns pontos não ficaram claros pra mim: (listar o que não ficou claro).

Se não existem informações no site, você poderia me enviar por aqui?

A maioria das marcas respondem. Quanto mais específica for a pergunta e os exemplos, uma resposta mais assertiva será enviada.

Ah! E se te ignorarem ou enrolarem na resposta já sabe: há grandes chances de greenwashing.

2 – Busque por notícias sobre a marca

Procurar especificamente por notícias te ajuda a saber onde a empresa está envolvida.

Olha só como o jornalismo que informa é importante!

3 – Verificar a presença de certificado ou selo

É claro que algumas marcas espertinhas vão criar um símbolo que lembre um selo autenticando sua responsabilidade ambiental.

Mas existem selos que são reconhecidos e tem critérios para permitirem que empresas sejam certificadas.

Alguns selos ambientais reconhecidos são:

  • Empresa B
  • Orgânicos do Brasil
  • Selo Eu Reciclo
  • Ecocert
  • Rótulo Ecológico ABNT (o da norma ISO 14024)
  • FSC (Forest Stewardship Council)

FSC-Forest-Stewardship-Council

Indico que você veja esse post do Modefica que lista os selos ambientais que podem aparecer nas embalagens de cosméticos e esse conteúdo d’O Globo com selos ambientais mais comuns.

 

Existe algo que fiscaliza a prática do greewashing?

Não.

Mas como na maioria dos casos se trata de uma comunicação enganosa, órgãos de publicidade de cada país estão atentos ao marketing que mostra as falsas boas ações.

No Brasil, por exemplo, o CONAR define algumas diretrizes para propagandas que tratam de “apelos de sustentabilidade”.

Dentre as regras gerais, há a necessidade de explicar com dados se, de fato, o que é dito acontece. Outros pontos relevantes falam da necessidade de haver clareza na comunicação e do consumidor ter facilidade de comprovação das práticas verdes pelos canais de comunicação da empresa.

Ainda assim, o CONAR não fiscaliza e nem consegue impedir essas práticas.

Nós, enquanto consumidores atentos e informados, podemos denunciar o greenwashing na publicidade pelo CONAR.

É o que temos por agora! Além de espalhar a informação para outras pessoas.

Internacionalmente, apesar de mais ações, as coisas ainda engatinham. Segundo uma matéria da Bloomberg que usei como referência, grandes empresas e investidores ainda não tem mecanismos fortes de auditoria para verificar se as políticas verdes comunicadas são reais.

Acredito que o fato de estarmos falando sobre o tema, de passarmos isso adiante, de empresas saberem que greenwashing é pauta dos consumidores, são coisas que acarretam ações e mudanças posteriores.

Devagar a gente chega lá!

 

Identifique as empresas em transição

Mas e aquelas empresas meio greenwashing, meio fazendo o bem?

Precisamos saber diferenciar a empresa que está fazendo publicidade enganosa, o greenwashing, da empresa que está comprometida com a mudança.

Greenwashing é quando o negócio tem um discurso de sustentabilidade, mas omite suas ações não positivas, assim como os citados nos vários exemplos desse post. A empresa que está em transição dá passos para a sustentabilidade e te avisa que ele ainda não é eco-friendly.

Algumas pessoas irão ver estas primeiras ações pró-planeta de uma empresa também como estratégia de marketing pura, sem propósito com a transformação.

Mas podem existir empresas que estão trabalhando pela mudança.

Afinal, melhor começar do que nunca fazer.

A Budweiser é uma cerveja que está dentro de um desses grandes grupos industriais, a AB Inbev, e é o único produto do aglomerado que usa 100% de energia renovável na sua produção.

Selo na lata de Budweiser - feita com energia 100% renovável

As outras cervejas do grupo, como a Stela Artois, não podem ser vangloriadas pelo mesmo. Mas a AB Inbev tem uma área dedicada à sustentabilidade e seu CSO (chief sustainability officer) contou que a meta é que até 2025 todos as outras marcas sejam produzidas 100% com energias renováveis.

A Starbucks é outra gigante da alimentação que está em processo de mudança. Agora ela tem opções veganas no menu, canudo 100% biodegradável (de papel) e copos feitos parcialmente com plástico que decompõe mais rápido.

Ela tem políticas de sustentabilidade e metas para evoluir, informação que fica no site. E é por conta disso que acredito que a Starbuks busca essa transição.

Então, que a gente saiba identificar o que é greenwashing, do que é sustentável e do que está em processo de transformação.

Empresa sustentável é possível e é necessário.  Greenwashing, não!

 

De qual empresa devemos consumir?

Com a informação que tenho e onde estou (em uma capital), consigo escolher de onde comprar boa parte do que uso diariamente.

Quando conheço marcas alternativas, como as que fazem sapatos veganos, passo a consumi-las.

Se preciso comprar algo quando estou sem opções, como é o caso de viagens, fico feliz em ver embalagens plásticas que se dizem biodegradáveis e que fazem alguma compensação ambiental.

Mas fato é que não vivemos em um mundo perfeito.

Eu erro, você erra, as pessoas nas empresas tomam decisões erradas.

Então, acredito muito que a gente pode fazer o possível, que é: sempre que der, apoiar e consumir de empresas que sejam transparentes e que falam algo pelo meio ambiente.

Além de se informar, o agir e o espalhar esse conhecimento são atos que estão nas nossas mãos.

Vamos colocar isso em prática? 💚

Siiiiiim!

Como você tem escolhido de quais empresas vai consumir? Me conta nos comentários!

Facebook Comments

veja também

O que achou? Deixe seu comentário