Home Consumo ConscienteLixo Zero Por que evitar plástico: Entenda a gravidade do problema

Por que evitar plástico: Entenda a gravidade do problema

Escrito por Ludmila Alves 18 de março de 2018
Por que evitar plástico: Entenda a gravidade do problema

8 milhões de toneladas de plástico é o que descartamos diariamente. A princípio, pode parecer chocante, mas basta dar uma olhada a nossa volta e nas lixeiras para ver o quanto usamos e como ele está contido em quase todos os lugares. Precisamos aprender urgentemente a evitar o plástico!

Tem quem diga que ele é prático e que seu uso é inevitável: embalagens, garrafas, sacolinhas, acessórios e demais objetos sempre acessíveis e a um preço bem baixo se comparado a qualquer outro material. Mas quem paga essa conta é a natureza, o solo, os animais marinhos e até as comunidades que não têm serviço de limpeza, onde o plástico se acumula. 😥

plástico-nos-oceanos

Acredite, reduzir o uso do plástico é uma necessidade! Da sua produção, ao uso fútil (o descarte rápido) e a quase não reciclagem, há coisas que nós, consumidores conscientes, precisamos conhecer, entender e mudar.

Quer saber quais são os problemas causados pelo plástico e por que é tão emergencial evitá-lo? Mesmo se você não quiser, fique por aqui e leia! 😂 Esse tópico é muito importante para ser ignorado. E garanto que não vai se arrepender de se conscientizar sobre isso. 💚🌎🐋🐬🐢

Parte 1 – A trajetória do plástico

Parte 2 – Plástico e meio ambiente: os problemas que ele causa à natureza

Parte 3 – Na prática: como evitar o plástico no seu dia-a-dia?

Clique no link caso queira ir direto a algum tópico de interesse.

Boa leitura. 😊

 

A Trajetória do Plástico

Foi em 1907 que nasceu o plástico como conhecemos hoje, feito à base de petróleo. Também são plásticos o silicone, o nailon, o teflon, o poliéster e tantos outros materiais que a gente até se esquece que são farinha do mesmo saco plástico (com o perdão do trocadilho 😂 ).

De lá pra cá, resíduos plásticos poluindo todos os lugares é a realidade. E como a população e o consumo por indivíduo cresce, o acúmulo desse lixo tem crescido de forma cada vez mais rápida.

Segundo uma pesquisa publicada pelo jornal científico PLOS ONE, 8,3 bilhões de toneladas de plástico já foram produzidas no mundo desde sua criação, sendo que 5 bilhões dessas toneladas já são lixos contaminando a natureza.

Nossa! 😯 Mas como conseguimos produzir, usar e descartar tanto plástico? Assim:

 

🥤 Produção: como o plástico é feito

O plástico vem de um derivado do petróleo, a nafta, que precisa passar por vários processos para ser plenamente trabalhado, ou seja, para poder se tornar algo de qualquer forma e de qualquer cor. E o problema começa antes da produção, já que a extração do petróleo não é sustentável.

O material que sai da refinaria para as fábricas que fazem objetos de plástico são os pellets: polímeros na forma de pequenos grãozinhos plásticos de cerca de 10 milímetros. Isso permite que a indústria molde qualquer material, mas já causa danos à natureza. No transporte, ficam pellets pelo caminho. 😦

Essas micropartículas de plástico vão para todos os lugares, incluindo água, alimentos, solos, para dentro do nosso corpo e para o dos animais.

 

🥤 Uso: onde ele está

Embalagens plásticas são apenas a ponta do iceberg, o plástico que podemos ver.

O plástico também é usado na produção de roupas e sapatos, pneus, peças industriais, equipamentos médicos, revestimento de eletrodomésticos, computadores, material escolar, móveis e na maioria dos recipientes que usamos.

Evitar o plástico - Onde ele está

Uma embalagem e uma infinidade de problemas para nós e para o meio ambiente.

Mas o que mais intriga é o plástico ser usado até na produção de cosméticos, na forma de parabenos, e até mesmo como conservador para a comida, como é o caso de enlatados. 😯

É importante lembrar que hoje esses derivados de petróleo contidos na maquiagem e cosméticos são considerados tóxicos e cancerígenos. Do mesmo modo, embalagens de plástico para alimentos e até os recipientes desse material que usamos para armazenar comida, podem contaminar o que comemos com substâncias ruins, como o BPA.

Há alternativas naturais para cosméticos? Sim! Algumas dessas marcas você encontra no post Guia da Maquiagem Vegana.

 

🥤 Descarte: as possíveis rotas do plástico após o uso

Em média, o plástico leva 450 anos para se decompor, o que significa que nenhum plástico produzido na Terra se decompôs.

porque-evitar-plastico-450-anos-para-decompor

Como os objetos de plástico que jogamos fora resistem, após o descarte eles podem ter diferentes destinos:

  • Aterro sanitário: ou lixão, que é para onde a grande maioria do lixo doméstico vai parar. Por lá, ele impermeabiliza o solo (se torna um bloqueio) dificultando o contato de materiais com a terra e seus microorganismos retardando a decomposição desses outros resíduos como papel, papelão, roupas de algodão e restos de alimentos.

Infelizmente, o plástico descartado não fica no lixão. A chuva e o vento carregam o plástico para todo o lugar. Uma vez que estes chegam em águas correntes, eles têm um destino diferente.

  • Oceano: 8 milhões de toneladas de plástico chegam aos oceanos anualmente porque o lixo que não se decompõe e não ganha fim (reciclagem, incineração ou reutilização) e, consequentemente, é conduzido pelas forças da natureza.

Os problemas do plástico no ambiente aquático são tão grandes, que detalhei isso no tópico Plástico e meio ambiente: por que esses resíduos são tão ruins?

  • Incineração: essa é uma técnica aplicada em diversos países que permite transformar o plástico em energia a partir de sua queima. Estima-se que apenas 12% de todo o plástico gerado é incinerado.

É um processo que precisa de cuidados específicos para acontecer pois gera gases muito tóxicos.

  • Reciclagem: No Brasil, 22% do plástico é reciclado, enquanto a nível mundial essa taxa cai para 9%. No entanto, não são todas as indústrias que conseguem aproveitar o material reaproveitado.

Para que o plástico possa ser reciclado, é preciso que ele chegue aos coletores desses resíduos, que vão levá-los à reciclagem.

 

🥤 Reciclagem: como acontece

A reciclagem do plástico consiste em passar o material pelo aglutinador, uma máquina que irá derreter o plástico e transformá-lo em uma farinha, a qual recebe água gelada. O processo gera grãos de plástico, que irão mais uma vez ser aquecidos para virar tiras e, por fim, os pellets, matéria prima na indústria.

Essa reciclagem não é simples: são diversos tipos de plástico que se misturados geram um produto de baixa qualidade. Portanto, as empresas recicladoras precisam ser minuciosas na separação e até mesmo descartar de vez itens que chegaram muito sujos.

♻ Por que tão pouco é reciclado?

Mas como vimos, há muito plástico sendo produzido, usado e rapidamente descartado, porém somente uma pequena parte dele é reciclada. Por quê?

Ao ser reciclado, o plástico perde muita da sua qualidade que a indústria aprecia: a maleabilidade e a possibilidade de dar a ele cores específicas. É justamente por isso que esse produto é utilizado majoritariamente para fazer sacos de lixo, baldes, recipientes de cloro, ou seja, o que é considerado menos nobre e ninguém vê a gente usando.

reciclagem-do-plastico

Imagens da fábrica de reciclagem Frompet em Jaboatão, Pernambuco, especializada na transformação de garrafas pet. Fonte: Diário de Pernanbuco.

Outro ponto que contribui para a falta de força desse processo é que, de modo geral, ainda é mais barato produzir um material de plástico do zero do que fazer algo a partir do plástico reciclado. Isso porque reciclar exige a coleta, separação do plástico, sua higienização e o processo de reciclagem em si, o que agrega ao custo final.

Por fim, o baixo custo do material e a alta demanda, permitem que essa indústria siga forte focando sempre na entrega e pouco se importando com o destino.

Se sabemos que é assim que a reciclagem funciona, temos o dever de agir, certo? A solução é reduzir o plástico!

♻ Reciclagens alternativas e exemplos do que acontece pelo mundo

Fazer plástico virar plástico de novo não tem dado tanto resultado assim. No entanto, alguns países encontraram alternativas interessantes para dar vida a esse material sem permitir que ele continuasse poluindo.

Um dos casos mais legais é o da Alemanha, país onde a reciclagem do plástico por parte do fabricante é obrigatória. Funciona assim: o consumidor deve devolver os recipientes plásticos em máquinas específicas para isso (que lembram máquinas de comprar refrigerante) que irão reconhecer de onde aquele plástico é. Essas embalagens chegam para o fabricante que as produziu e ele as vende para a indústria de reciclagem e as compra de novo prontas para reutilizar.

O modelo alemão permite que o plástico fique mais barato para a empresa que o utiliza como matéria-prima e fortalece outros empreendedores graças à economia circular praticada para que a reciclagem aconteça.

Na Irlanda, o plástico é reciclado e se transforma em Diesel, que também é um derivado do petróleo. O combustível vindo da reciclagem tem um bom preço para o consumidor, além de evitar a poluição por plásticos.

 

Plástico e meio ambiente: os problemas que ele causa à natureza

É agora que você vai entender porque evitar plástico é tão urgente. O que esse resíduo tem causado é chocante! 😯

O cenário ideal é a reciclagem, mas o cenário real é que o plástico vai para os depósitos de lixo e, na grande maioria das vezes, cai no oceano. Isso causa os seguintes e também gravíssimos problemas:

  • ingestão do plástico por aves, peixes, baleias, golfinhos e qualquer outro animal marinho. Isso impede esses animais de voar ou boiar corretamente, além de matá-los por inanição porque seus estômagos ficam tão cheios de plástico que eles não conseguem mais ingerir comida de verdade.

Estima-se que 90% das aves marinhas já ingeriram algum pedaço de plástico ao longo da vida.

É muito triste ver o que temos causado.

Por que evitar plástico? Pássaro morto por ingestão de plástico

Encontrar resíduos plásticos em aves marinhas é comum: estima-se que 90% delas já ingeriram algum pedaço desse lixo.

  • danos físicos aos animais marinhos. Canudos podem parar na narina das tartarugas, peixes podem ficar sufocados em sacolas plásticas, focas e qualquer outro animal um pouco maior podem ser enforcados em redes de pesca descartadas no mar.

O pior é saber que sem esse lixo que não nos importamos em produzir, esses animais estariam bem, tendo uma vida plena. Ao invés disso, eles têm vidas de sofrimento físico.😥

porque-evitar-plastico

  • o microplástico nos oceanos carrega substâncias nocivas com ele. Os pequenos pedacinhos de plástico são como ilhas para microorganismos, bactérias, resíduos tóxicos como os da agricultura e da indústria farmacêutica.

Os microplásticos ingeridos pelos animais marinhos, tal como peixes, vão para o prato das pessoas que comem carne, fazendo com que elas também se contaminem com os microplásticos e tudo o que eles carregam.

O documentário “A Plastic Ocean” traz muitas das informações contidas nesse post e é uma excelente fonte de informação sobre o tema. Recomendo!

O plástico também causa problemas fora do oceano

Nós também somos diretamente afetados pelo plástico que consumimos. Os principais problemas que ele traz às nossas vidas são:

  • o plástico é tóxico para nós humanos, mas ainda assim é usado para embalar comida. Por ser um derivado de petróleo, o plástico é tóxico. Seus grãos e pedacinhos são levados pelo vento e pela chuva e, assim, contaminam o solo onde crescem nossos alimentos.

Além disso, o mínimo aquecimento de uma embalagem plástica libera o BPA, uma substância cancerígena.

Como se não bastasse todo o problema, esse tóxico é incluído na alimentação de vacas e galinhas pois mimetizam o estrogênio e permitem que os animais engordem mais rapidamente.

  • o plástico é um estímulo ao consumismo: barato, acessível, presente em quase tudo o que vemos, inclusive nas nossas roupas! Por causa da aquisição fácil e do descarte normalizado, incluímos plástico nas nossas necessidades sem ele realmente ser.

Consumismo e geração de resíduo plástico

Leia também Consumo consciente: o que é e ações simples para pôr em prática.

 

Na prática: como evitar o plástico no seu dia-a-dia?

Eu sei, não é simples produzir zero lixo, tal como faz a Lauren Singer do Trash is for Tosser ou a Bea Johnson do Zero Waste Home. Podemos não ser perfeitos, mas podemos fazer o nosso melhor e reduzir muito o plástico gerado.

É bem simples evitar o plástico:

  • Recuse os descartáveis: comer fora de casa, na maioria das vezes, é sinônimo de consumir também copos e talheres plásticos. Carregue seu kit lixo zero com você e pare de gerar esses lixinhos desnecessários.
  • Nunca aceite canudos: na minha infância, canudo era a coisa mais cool do mundo, hoje é um lixinho de muito mal gosto. Você até pode ter o seu canudo de material resistente, tal como metal ou bambu, mas dá pra viver perfeitamente apenas abandonando o uso dele. Acredite, você também pode!
  • Não pegue sacolinhas nem outros tipos de embalagens plásticas: é muito fácil viver sem elas, afinal, podemos usar mochilas, bolsas e até a caixa de papelão para carregar nossas compras.
  • Se alimente de forma mais natural: todo alimento industrializado que você compra, além de não ser bom para a saúde, é ruim para o planeta porque representa mais uma embalagem no lixo. Assim, um dos passos para uma vida mais sustentável é se alimentar de comida natural, que não tem embalagem, apenas casca.

Mas lembre-se: é importante comprar seus vegetais e prepará-los em casa para garantir a geração de menos lixo. 

É sempre melhor descascar do que abrir pacotinhos!

 

  • Reduza seu consumo: aprenda sobre como é libertador ter uma vida minimalista e entenda que o quanto consumimos é cultural, mas na verdade não precisamos de tanto para ser feliz. Comprar menos roupas, selecionar bem o tipo de embalagem que está levando, ter menos acúmulos em casa é bom pro seu bolso e pro planeta porque, com certeza, irá reduzir seu consumo de plástico.

Conheça o movimento pela redução do lixo Julho sem Plástico.

  • Separe e higienize seu lixo plástico: mesmo que você não saiba da existência de cooperativas de reciclagem, vale a pena separar o plástico e deixar os recipientes que está descartando limpos. Se em algum momento da longa vida desses materiais eles chegarem a quem possa reciclar, isso vai fazer a diferença e reduzir a chance de um novo descarte.
  • Incentive as pessoas próximas a você a fazerem o mesmo: dessa forma, você potencializa o impacto da sua redução.

Por que evitar plástico agora?

A pesquisa para esse texto me deixou uma certeza: está tudo interligado! Nosso consumismo, o plástico que contamina o solo, os alimentos e os animais, o veganismo, nossa qualidade de vida e a de todos os outros seres da Terra.

Reduzir o plástico não é papo de ambientalista, é uma necessidade urgente!

Isso é o que tenho feito, estudado e realizado conforme contei aqui. Recomendo muito que faça o mesmo e espalhe essa ideia. 😊💚

E quais têm sido as suas atitudes para gerar menos plástico?

Facebook Comments

veja também

O que achou? Deixe seu comentário